Coisas de Mato Grosso

Cuiabá, 30 de Abril de 2.017

Preencha os dados e assine nossa Newsletter:

Newsletter

Conheça Mato Grosso!

Saiba mais sobre Mato Grosso e suas cidades.

Clique

Prev Next

Mato Grosso

Nosso Estado

Nosso Estado

Capital: Cuiabá

População: 2.854.456 hab. (IBGE/2007)

Área: : 903.357,908 km² (IBGE - Resol. n° 05/10/2002)


Estado brasileiro localizado a oeste da região Centro-Oeste. Tem como limites: Amazonas, Pará (N); Tocantins, Goiás (L); Mato Grosso do Sul (S); Rondônia e Bolívia (O).

As cidades mais importantes são: Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop e Cáceres.

Extensas planícies e amplos planaltos dominam a área, a maior parte (74%) se encontra abaixo dos 600 metros de altitude. Juruena, Teles Pires, Xingu, Araguaia, Paraguai, Piqueri, São Lorenço, das Mortes e Cuiabá são os rios principais.

Sua economia se baseia na indústria extrativista (madeira, borracha); na agricultura (cana-de-açúcar, soja, arroz, milho); na pecuária e criações; na mineração (calcário e ouro); e na indústria (metalúrgica e alimentícia).

Pelo Tratado de Tordesilhas (7 de junho de 1494), a área pertencia à Espanha. Os jesuítas, a serviço dos espanhóis, criaram os primeiros núcleos, de onde foram expulsos pelos bandeirantes paulistas em 1680. Em 1718, a descoberta do ouro acelerou o povoamento. Em 1748, para garantir a nova fronteira, Portugal criou a capitania de Mato Grosso e lá construiu um eficiente sistema de defesa.

Com os Tratados de Madri (1750) e Santo Ildefonso (1777), Espanha e Portugal estabeleceram as novas fronteiras. A produção de ouro começou a cair no início do século 19. Em 1901, ocorreu um movimento separatista temporariamente controlado.

Em 1917, a situação se agravou, provocando intervenção federal. Com a chegada dos seringueiros, pecuaristas e exploradores de erva-mate na primeira metade do século XIX, o Estado retomou o desenvolvimento.

Em 1977, uma parte do Estado foi desmembrada e transformada em Mato Grosso do Sul.

Atualmente o Estado de Mato Grosso tem como governador Blairo Maggi e como vice-governador Francisco Tarquínio Daltro(Chico Daltro).



HISTÓRIA DO NOSSO ESTADO NA VISÃO DA HISTORIADORA LAÍS PAIVA PINHO


A Ocupação da Colônia Brasileira e a conquista dos Sertões Mato-Grossenses

O Brasil era uma colônia cujo principal objetivo era suprir a Europa de gêneros alimentícios tropicais, porém sem perder as esperanças de encontrar minérios de grande importância.

A expedição de Martim Afonso em 1532 plantou cana e construiu engenhos em todas as capitanias, de São Vicente (posterior capitania de São Paulo) a Pernambuco. Devido as condições climáticas favoráveis a produção açucareira, o processo de ocupação do território brasileiro priorizou a região Nordeste.
Os moradores da Capitania de São Vicente, abandonados a própria sorte pela Coroa Portuguesa se dedicaram à agricultura de subsistência e se especializaram no apresamento de indígenas para servirem de mão-de-obra nas plantações nordestinas.

Essa busca por nativos era feita em expedições chamadas de Bandeiras, que também buscavam por metais e pedras preciosas em terras, que mais tarde, pertenceriam a Mato Grosso.

Manoel Campos Bicudo, no inicio do séc. XVII, foi um bandeirante pioneiro na marcha para o oeste brasileiro, foi o primeiro a atingir a região da atual Cuiabá, entre 1673 e 1682. Pascoal Moreira Cabral também chega a região atraído pela fartura de indígenas. É nesse momento que ele e seus homens descobrem as primeiras amostras de ouro mato-grossenses na região de São Gonçalo Velho.

A notícia do ouro trouxe muitas pessoas. Para organizar o povoado e cobrar impostos em nome da Coroa, Moreira Cabral, juntamente com outros bandeirantes, lavra a Ata de Fundação do Arraial de Cuyabá, em 08 de abril de 1719.
Mais tarde, em 1722, Miguel Sutil descobre um dos veios auríferos mais importantes da região, as “lavras do Sutil”, como ficaram conhecidas, se localizavam próximo as atuais Igrejas do Rosário e de São Benedito.

Autora: Laís Paiva Pinho


A Criação da Capitania de Mato Grosso

A partir da Carta Régia de 09 de maio de 1748, por decisão de D. João V, as minas de Mato Grosso são desmembradas da capitania de São Paulo. Os motivos deste desmembramento estão relacionados com a política do governo português para garantir a nova fronteira e a necessidade de uma fiscalização mais eficiente da extração de ouro.
Em 1752, é instalada oficialmente a capital da capitania às margens do rio Guaporé. Coube a Antônio Rolim de Moura a escolha do local em que se instalaria a sede da nova Capitania, passando a ser denominada de Vila Bela da Santíssima Trindade. Sua fundação data de 19 de março de 1752.
A mudança da capital de Cuiabá para Vila bela, se deu por motivos de distância e de dificuldade de comunicação com os grandes centros do Brasil, além do imperativo de vigilância da fronteira.


Autora: Laís Paiva Pinho



O IMPÉRIO EM MATO GROSSO

Durante a primeira metade do séc. XIX, Mato Grosso passava por algumas dificuldades. Entre elas é possível destacar a mudança do eixo econômico, devido a decadência da mineração a economia estava sendo baseada principalmente em atividades agropecuárias e no comércio. Junto a isso se junta o “esvaziamento” demográfico sofrido pela capitania após o declínio das atividades mineradoras.
É nesse contexto que a notícia da independência do Brasil chegou a Mato Grosso em carta de 18 de novembro de 1822. Dom Pedro I ordenava que a capitania, agora denominada província de Mato Grosso, elegesse um governo provisório constitucional composto por oito membros. Apesar do embate travado entre Vila Bela e Cuiabá pela sede da província, em D. Pedro I aprovou a junta governativa de Cuiabá.
O governo provisório constitucional governou Mato Grosso até 1825.

Autora: Laís Paiva Pinho